//
Social em Movimentos

São Paulo

Esta categoria contém 3 posts

Dia a dia #4 | “Para onde a gente vai?”

O dia começou cedo com uma visita ao Mercado Municipal de São Paulo. Em meio a barracas de frutas exóticas e tropicais, peixes típicos da costa brasileira e queijos nacionais de sabor desconhecido para eles, os convidados franceses se esbaldaram. A pinha foi a fruta preferida, a ponto de considerarem levar na mala para a França, mas a ideia foi abandonada logo em seguida. Depois de um belo sanduíche de carne seca, hora de ir para o CCBB.

On n’est pas des marques de vélo deu ao público uma ideia de como a dupla pena é cruel na França. Após cumprir sua pena preso, Bouda é expulso da França para um país que nunca reconheceu como seu. Logo em seguida, a emoção volta com Entre a luz e a sombra, sobre a trajetória de dois rappers que se conhecem no Carandiru e, graças ao trabalho de Sophie Bisilliat, conquistam reconhecimento dentro e fora da penitenciária.

Após a sessão, Jean-Pierre Thorn, diretor de On n’est pas des marques de velo, Luciana Burlamaqui e Sophie Bisilliat, diretora e personagem de Entre a luz e a sombra, participaram de um bate-papo com a platéia. Em pauta, os efeitos da criminalização da pobreza. “A dupla pena também existe no Brasil, só que aqui ela se manifesta pela prisão e pelo preconceito. Falta qualquer perspectiva para o indivíduo quando se vê diante do que recebe da sociedade”, disse Luciana.

Para Thorn, é preciso que este tema tome a sociedade, que os filmes circulem não apenas em cinemas e TVs, mas também em sessões ao ar livrem em associações, escolas e universidades, sempre como ponto de partida para um debate envolvendo toda a sociedade. Depois de toda a experiência mostrada no filme, Sophie provoca: “o que mais me deixa assustada é que a situação piora a cada dia. Para onde a gente vai?”, ela pergunta, deixando a platéia muda.

Social em Movimentos na Folha de São Paulo | 22/04/2009

Social em Movimentos na Folha Ilustrada

Debate sobre imigração | Convidados confirmam presença em São Paulo

Dia 24 de Abril 2009

19h : Debate sobre imigração

As migrações, hoje, num mundo globalizado, são ao mesmo tempo um sintoma, conseqüência e denúncia da realidade enfrentada por trabalhadores(as) pobres no mundo inteiro.

Moderadora : Bia Barbosa,  trabalhou na Editora Abril e foi editora da Agência Carta Maior, fazendo a cobertura dos processos do Fórum Social Mundial. Foi colaboradora da Revista Caros Amigos e viveu em Paris, onde trabalhou para a Unesco, Rádio França Internacional, IstoÉ, O Estado de S.Paulo e Agência Reuters. É coordenadora do Intervozes, coletivo que atua em defesa do direito humano à comunicação, e empreendedora social da Ashoka.

Mamadou M’Bodje, chefe de projeto da ASIAD – Association de Solidarité et Information pour l’Accès aux Droits des étrangers non communautaires [Associação de solidariedade e informação para o direito dos estrangeiros não europeus].

Luiz Bassegio, secretário continental do movimento Grito dos Excluídos que denuncia todas as situações de exclusão e assinala as possíveis saídas e alternativas, e organiza uma grande manifestação popular no dia 7 de setembro no Brasil e no dia 12 de outubro em toda a América.

Paulo Ylles, coordenador do Centro de apoio ao migrante (CAMI), um dos articuladores do Espaço Sem Fronteiras, uma rede que pretende estimular o diálogo e a análise das políticas migratórias na América do Sul, projetos de lei e programas a serem implementados nesses locais.